O Que Conhecemos Quando Intuímos

wook 12 € Comprar

A publicação "O que conhecemos quando intuímos? A problemática da intuição como interface da filosofia da ciência em Portugal", aborda uma das mais fascinantes funções do nosso cérebro: o papel da intuição no processo da produção do conhecimento.Durante séculos, a arquitetura do processo de conhecimento oscilou entre as ideias inatas e as ideias adquiridas ou dedutivas. O avanço na investigação das neurociências veio dar uma nova perspetiva a este debate dicotómico, procurando encontrar na perspetiva...

Saiba mais

Descrição

A publicação "O que conhecemos quando intuímos? A problemática da intuição como interface da filosofia da ciência em Portugal", aborda uma das mais fascinantes funções do nosso cérebro: o papel da intuição no processo da produção do conhecimento.Durante séculos, a arquitetura do processo de conhecimento oscilou entre as ideias inatas e as ideias adquiridas ou dedutivas. O avanço na investigação das neurociências veio dar uma nova perspetiva a este debate dicotómico, procurando encontrar na perspetiva neurobiológica um processo unificador que valorize as mais variadas fontes do conhecimento. Apesar de atual e inovador, esta tentativa de unificação carece de uma fundamentação globalizante filosoficamente sustentada. É este o contributo desta publicação.O que torna este ensaio aliciante, é a sua "perspetiva improvável", personificada em quatro elementos essenciais:1. A abordagem de uma questão tão complexa como a intuição pode fazer com que se ceda à tentação da construção de um discurso hermético e pouco compreensível para a maioria dos leitores.2. Esta publicação não encarrila numa abordagem tradicionalmente asséptica, mas lança-se num tratamento do processo epistemológico no qual o "hiato gnosiológico" se converte na síntese pessoal da questão central, fazendo entrar no debate autores tão improváveis como Antero de Quental; Immanuel Kant ; Leonardo Coimbra; Karl Popper; Charles Sanders Peirce ou Fernando Gil. Um debate improvável, sem dúvida!3. Por último, este ensaio apresenta uma proposta arrojada para o futuro do debate de uma teoria do conhecimento. Servindo-se do pensamento inovador do saudoso professor Fernando Gil, é sugerida uma possível chave de interpretação fenómeno da intuição a que chama de "conhecimento íntimo".

Detalhes

Do mesmo autor

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar no site consente a utilização dos cookies. Saber mais